Intercâmbio depois dos 30

Fazer intercâmbio na Austrália depois dos 30 anos significa arriscar muito mais do que quando se tem 18 anos e acabou de concluir o ensino médio, ou quando se está na casa dos 20 e  formou na faculdade. Implica também deixar uma carreira para traz, começar do zero em outro país, enquanto os colegas da mesma idade estão formando família e crescendo profissionalmente.

Mas existem vantagens super valiosas de fazer intercâmbio depois dos 30, que bem aproveitadas poderão mudar a vida para melhor consideravelmente. E é sobre isso que vamos falar aqui.

Continue lendo para mais detalhes.

SUPERAR OS DESAFIOS

Sim, dá mais insegurança fazer intercâmbio com 30 anos, pois as consequências de estar do outro lado do mundo pesam mais do que quando se é mais jovem. Um exemplo é a família. Não só a pressão de formar uma família, mas a “culpa” de ficar longe por um tempo dos familiares com mais idade e dos recém-chegados.

Quando se trata de um casal com mais de 30 anos que decide fazer intercâmbio, muitos questionamentos externos costumam vir, por exemplo sobre adiar a chegada de filhos. Também é comum mulheres solteiras depois dos 30 experimentarem pressão social sobre a escolha de mudar para outro país e retardar casamento e gravidez.

E provavelmente na Austrália você terá trabalhos diferentes da sua área profissional no Brasil e seus anos de experiência não contarão muito na hora de conseguir um job, principalmente se o objetivo do seu intercâmbio for aprender inglês, já que você precisará de um tempo para se comunicar bem no novo idioma.

Assim como a maioria dos intercambistas, certamente você terá oportunidades de emprego na área de hospitality – como garçom, garçonete, lavador de pratos -, ou como babá, como cleaner (limpando casas e escritórios), entregador de aplicativos, etc.

Então, com frequência, você se questionará se vale a pena toda essa mudança, se de fato você está dando um passo para frente e evoluindo ou se está perdendo tempo, se ao voltar para o Brasil conseguirá um lugar no mercado de trabalho, na sua área, ou se enfrentará dificuldades.

Foco nos objetivos e clareza nos motivos que levaram à decisão do intercâmbio depois dos 30 contribuem para uma experiência positiva e de muitos ganhos  

O QUE REALMENTE IMPORTA

Pois saiba que falta de foco nos objetivos a serem alcançados com o intercâmbio e falta de clareza nos motivos que culminaram na decisão de cruzar o mundo para aprender algo novo resultarão em insegurança e comparação constantes. E, como consequência, o intercambista não curtirá esse momento como deveria. Por isso trabalhar o psicológico e focar nos ganhos proporcionados pela experiência única do intercâmbio devem ser uma atividade diária. 

O pulo do gato é que, depois dos 30 anos, a maturidade para tirar de letra os desafios é muito maior. E a Australia é um país que não tem preconceito com idade para encontrar trabalho. Até porque é super comum as mulheres australianas pararem de trabalhar para cuidar dos filhos por um tempo e retornarem ao mercado de trabalho anos depois.

Em termos de rotina de estudos, muitas escolas de inglês têm turmas específicas para alunos com mais de 30 anos, pois sabem da parcela de pessoas com perfil mais maduro nessa faixa etária, e que não está a fim de se misturar com a galera da farra, quando o assunto é processo de aprendizagem em sala de aula.

E em relação à acomodação, não é nada difícil encontrar opções de moradia para quem prefere uma rotina mais calma, um lugar mais limpo e organizado, ao invés de casa cheia, compartilhada com várias pessoas e festas frequentes.

Então, se você tem mais de 30 anos e tem vontade de fazer intercâmbio, a Austrália está pronta para te receber de braços abertos. Partiu?

Planeje o seu intercâmbio na Austrália com a Channel. Auxiliamos com roteiros de viagem, processos de aplicação de visto, recomendações de cidades, escolas e matrículas. Fale com a gente aqui.

Leave a comment

Translate »
Close Bitnami banner
Bitnami